*triim-triiimm* [entries|archive|friends|userinfo]
triciclofeliz

[ website | manifesto yada yada & mamas v. 1.0 ]
[ userinfo | livejournal userinfo ]
[ archive | journal archive ]

(no subject) [Aug. 10th, 2007|02:51 pm]
cinco em cinco






agora experimentem pôr todos ao mesmo tempo.
parecendo que não, voltam a ter piada.
parecendo que sim, é uma perda de tempo.
link9 comments|post comment

(no subject) [Aug. 9th, 2007|03:28 pm]
QUOTE OF A LIFE TIME


"I must say, for a charming, intelligent girl, you certainly surrounded yourself with a remarkable collection of dopes."
- Det. Lt. Mark McPherson (Laura, 1944)
link3 comments|post comment

(no subject) [Aug. 8th, 2007|11:51 am]

a nenhum eu vi a vir-me. não avistei abutres. não tive palpitações. não precisei de espantar corvos do estendal, nem vislumbrei a silhueta a um gato preto. não rasei cemitérios. nem ando a ler poe ou soares de passos. não me cobri de xailes. não escaqueirei qualquer espelho e até posso apostar que passei ao largo de todos os escadotes. faz meses que não abro um chuço dentro de casa. pelas minhas contas faltam uns poucos de dias para o aziago dia 13.

sei bem que, como se diz, 'já não vou para nova'. que devo muito ao regrado, que devia dormir a horas, comer melhor, sossegar mais. mas não me sinto doente e ando até a tomar ginseng. nenhum dos meus sinais - pelo menos que eu saiba ou aviste - mudou de feitio. nem sequer eu mudei o meu.

é como disse: não notei nada. nem um só prenúncio para amostra. por isso, como poderia eu estar preparada e ficar sem me abalar quando hoje, na minha caixa do correio, entalado entre dica da semana e a excursão às rias bajas, um agoiro 15x25 cm me esperava escancarado? e, pior!, que o biltre se anunciaria colorido e popular?

não podia. daqui a uns anos, talvez. hoje não. ou, pelo menos, nesta idade, ainda que pouco tenra, julguei que não podia.

cruzes canhoto! apre. e vou mas é pôr-me a bulir e arranjar depressinha um colante que por mim diga e enxote:

MORTE NÃO ENDEREÇADA
AQUI NÃO
OBRIGADA





Why is this age worse than earlier ages?

In a stupor of grief and dread
have we not fingered the foulest wounds
and left them unhealed by our hands?

In the west the falling light still glows,
and the clustered housetops glitter in the sun,
but here Death is already chalking the doors with crosses,
and calling the ravens, and the ravens are flying in.

Anna Akhmatova
link17 comments|post comment

(no subject) [Aug. 7th, 2007|10:20 am]



link12 comments|post comment

(no subject) [Jul. 30th, 2007|10:43 pm]
Depois do Cruzadex, do Sudokuz e do Puzzlex, finalmente o seu passatempo deste Verão: o Bergmanex!

De entre uma dúzia de filmes, descubra os dois logros suecos. Aceite o desafio Bergmanex e prove aos seus amigos que é um entediado entendido em Bergman. Mãos à obra, ao alto, e boa sorte!


1. Det Sjunde inseglet

2. Smultronstället

3. Fanny och Alexander

4. Karikatyr

5. Sommarnattens leende

6. Såsom i en spegel

7. Trollflöjten

8. Vargtimmen

9. Mysterium Vetenskap Teatern

10. Persona

11. Tystnaden

12. En passion


; )
link9 comments|post comment

(no subject) [May. 25th, 2007|01:45 pm]
link27 comments|post comment

(no subject) [Apr. 11th, 2007|09:59 am]
cartas do ultramar
que o meu pai escreveu para a minha irmã, quando ela era pequenina

.. para a minha irmã mais velha, claro, que eu já as não tive assim



que estranho. subitamente, o pulso corre-me. sinto o coração trepidar e o sangue a devorar o côncavo da minha pele. sinto o corpo inquieto, pesado, quebrado pela perversidade que se instala. familiar, tudo isto que sinto. sim, recordo-me. este alvoroço surdo. consigo, até, cartografar este crescendo. sim, já começou. inexorável metamorfose e ódio. o travo doce da perfídia sob a língua não engana. e, no entanto, passou tanto tempo.. como é possível estar de volta? de novo esta pontada no baço.. . . . grrrrr. . . . de novo a angústia em galope.. gggggghh... de novo o rubor que me descompõe.. hhhggg ... por quê de novo?. .. a vontade irreprimível de lhe arrepelar o cabelo .. . ghhggggg sacar-lhe o escalpe.. as ganas de lhe acertar o passo.. hgggghh.. de a perseguir cozinhafora, a alombar-lhe vassouradas fulminantes. . grrrr .. meu deus, que me julgava curada e eis-me a deslizar, de novo, rendida à sedução homicida, ao enlace raivoso da velha inveja, da tentação do fratricídio.. foge, gaby, que esta mirim te vai arrebunhar!!


[VÓS QUE COMO EU FIGURASTES RARAMENTE, E POR FAVOR, NAS FOTOGRAFIAS DE FAMÍLIA, QUE COMO EU HERDASTES OS BRINQUEDOS ESCAQUEIRADOS E JÁ COM NOME, QUE COMO EU VESTISTES ROUPAS COÇADAS E COSIDAS, NOS COTOVELOS E JOELHOS, COM REMENDOS DE NAPA RELES, VÓS, IRMÃOS MAIS NOVOS OF WORLD, REFILAI! IRMÃOS ENJEITADOS OF THE WORLD, BULHAI!]


\oo/
link17 comments|post comment

(no subject) [Apr. 5th, 2007|12:25 am]
xnif :´)


no pitau raia
link12 comments|post comment

(no subject) [Mar. 30th, 2007|04:01 pm]
o chispe do cupido




à parte sandálias de tirinhas, muito altas, e com atilhos no tornozelo, e o uso recorrente do ditado 'há sempre um chinelo velho para um pé cansado', não exibo particular fixação por sapato, mas que calcorreei este museu inteirinho, lá isso, sim :´)

só por lá não vi o chispe do cupido, e isso é quase imperdoável!

link3 comments|post comment

(no subject) [Mar. 26th, 2007|01:30 pm]

Ai Senhor Doutor, ai Dona Maria, que saudades temos de uns bons safanões..


como o saudoso Doutor Beato Salazar, caí da cadeira quando soube da possibilidade deste vir a ganhar um concurso ao qual estava a achar bastante graça. desde então, recompus-me, e vejo agora que não sei do que me espantei.

num país onde a participação cívica é quase inexistente (basta atentar nas ridículas taxas de participação, mesmo ao nível mais próximo e elementar: reuniões de condomínio e separação de resíduos, por exemplo), e onde a ignorância lusitana é escandalosamente subvalorizada (nesta benevolência nefasta me incluo), o resultado não poderia ser outro.

o luso sapiens, doutor em orações da bunda e big brothers de boçalidade, que julga que lê jornais só porque folheia o destak, mas no fundo não consegue é ver um documentário inteiro, não iria nunca mobilizar-se num concurso destes. a animália mal fareja aquela ignominiosa coisa do 'conhecimento', uiiiii, distrai-se e dá-lhe um sono pesado, uma tal dor na mona, que não aguenta. coitado, debanda das coisas que o fazem sentir brutinho. afinal, eram dez nomes, caramba, é compreensível que às tantas lhe desse tonturas e começasse a confundir o Marquês de Aristides com o Infante D. João II.

então, se esta tosca maioria não votou, quem votou, afinal? votou quem nunca debanda, e de quem nunca nos veremos livres: os asnos. os fachos, os comunas, e os burros que acham que assim protestaram contra o estado da nação.

os dois primeiros, eu entendo. é gente que tem quebras de tensão quando lhe falta a autoridade. gente que se sente maior quando é diminuída. gente que se sente ditadora quando ditada. no magnífico livro Salazar - Agora, na hora da sua morte, há uma frase, dita por um dos conselheiros de salazar, que retrata muito bem isto que penso:

"Martelar constantemente as suas ideias (do Salazar), despi-las da sua rigidez, dar-lhes vida e calor, comunicá-las à multidão. Que o ditador fale ao povo e se confundam de tal forma que o povo se sinta ditador e que o ditador se sinta povo..."

quanto aos terceiros asnos, os burros, não os entendo e muito menos os respeito, por mais envoltos que já estejam, por esta hora, em filigrana sociológica da treta. estes burros têm ao seu dispôr mil outras formas de protesto e optam pela mais mesquinha. estão no seu direito, mas não passam estrume que só tem remedeio com uma pouca de terra por cima.

estamos cada vez mais feios, e, raisparta, isso deixa-me triste. quero lá saber se sou ingénua. posso até precisar mas não gosto quando me esbarram com o estado velho da nação.

em remate, deixo a frase do salazar que, para mim, melhor mostra como o menino antónio já nasceu velho, velho viveu, e velho morreu de morte velha e doméstica, a frase que, se não me desse tantos arrepios, me daria outros tantos risos:

"Ensinai aos vossos filhos o trabalho, ensinai às vossas filhas a modéstia, ensinai a todos a virtude da economia. E se não poderdes fazer deles santos, fazei ao menos deles cristãos." - Doutor António de Oliveira Salazar

<



link46 comments|post comment

(no subject) [Mar. 22nd, 2007|11:22 pm]
Hollywood Issues

enquanto o senhor carteiro (já vos disse o quanto gosto de carteiros? e de lixeiros? e de jardineiros? e de polícias? pois, ou nasci com coração ou alma de noddy. mas, adiante, que esta lucubração só ao meu foro psíquico, e outrora mais restrito, pertence).. como eu dizia, antes de me perder, enquanto o senhor carteiro não entala a edição de abril na frincha das cartas, deixo por aqui o balanço das capas triplas desdobráveis que a annie leibovitz vem fazendo para a vanity fair desde 1995.

e assim, com treze singelos espantos, esta pobre copista de jpgs assombra as gentes que por aqui botam as bistinhas e só têm recolhido embaçadela, e, simultaneamente, faz pálida prova de vida.

ah, já me esquecia - noitibó apressada que sou - que a minha eleita continua a ser a de dois mil e seis. agora, sim, piro-me para parte incerta mas acolchoada. durmam bem, e agasalhados, se por aí também grassar este grizo desgarrado.




APRIL 1995: "HOLLYWOOD HIGHEST—THE CLASS OF 2000" Jennifer Jason Leigh, Uma Thurman, Nicole Kidman, Patricia Arquette, Linda Fiorentino, Gwyneth Paltrow, Sarah Jessica Parker, Julianne Moore, Angela Bassett, Sandra Bullock.



APRIL 1996: "BOYS' TOWN" Tim Roth, Leonardo DiCaprio, Matthew McConaughey, Benicio Del Toro, Michael Rapaport, Stephen Dorff, Johnathon Schaech, David Arquette, Will Smith, Skeet Ulrich.



APRIL 1997: "THE NEXT WAVE" Cameron Diaz, Kate Winslet, Claire Danes, Renée Zellweger, Minnie Driver, Alison Elliott, Jada Pinkett, Jennifer Lopez, Charlize Theron, Fairuza Balk



APRIL 1998: "THE HOT NEXT WAVE" Joaquin Phoenix, Vince Vaughn, Natalie Portman, Djimon Hounsou, Cate Blanchett, Tobey Maguire, Claire Forlani, Gretchen Mol, Christina Ricci, Ed Furlong, Rufus Sewell.



APRIL 1999: "NEW KIDS ON THE BLOCK" Adrien Brody, Thandie Newton, Monica Potter, Reese Witherspoon, Julia Stiles, Leelee Sobieski, Giovanni Ribisi, Sarah Polley, Norman Reedus, Anna Friel, Omar Epps, Kate Hudson, Vinessa Shaw, Barry Pepper.



APRIL 2000: "SPLENDOR IN THE GRASS" Penélope Cruz, Wes Bentley, Mena Suvari, Marley Shelton, Chris Klein, Selma Blair, Paul Walker, Jordana Brewster, Sarah Wynter.



APRIL 2001: "MASTER CLASS" Nicole Kidman, Catherine Deneuve, Meryl Streep, Gwyneth Paltrow, Cate Blanchett, Kate Winslet, Vanessa Redgrave, Chloë Sevigny, Sophia Loren, Penélope Cruz.



APRIL 2002: "RHAPSODY IN BLUE" Kirsten Dunst, Kate Beckinsale, Jennifer Connelly, Rachel Weisz, Brittany Murphy, Selma Blair, Rosario Dawson, Christina Applegate, Naomi Watts.



APRIL 2003: "ALPHA LIST" Tom Hanks, Tom Cruise, Harrison Ford, Jack Nicholson, Brad Pitt, Edward Norton, Jude Law, Samuel L. Jackson, Don Cheadle, Hugh Grant, Dennis Quaid, Ewan McGregor, Matt Damon.



APRIL 2004: "SEND IN THE GOWNS" Julianne Moore, Jennifer Connelly, Gwyneth Paltrow, Naomi Watts, Salma Hayek, Jennifer Aniston, Kirsten Dunst, Diane Lane, Lucy Liu, Hilary Swank, Alison Lohman, Scarlett Johansson, Maggie Gyllenhaal.



MARCH 2005: "NOT SO DESPERATE HOUSEWIVES" Uma Thurman, Cate Blanchett, Kate Winslet, Claire Danes, Scarlett Johansson, Rosario Dawson, Ziyi Zhang, Kerry Washington, Kate Bosworth, Sienna Miller.



MARCH 2006: "FORD'S FOUNDATION" Scarlett Johansson, Tom Ford, Keira Knightley, Scarlett's …



MARCH 2007 "Ben Stiller! Owen Wilson! Chris Rock! Jack Black!"
link42 comments|post comment

(no subject) [Mar. 20th, 2007|12:36 am]
quais directas, quais quê?!

eleições patetas, já!!
link4 comments|post comment

(no subject) [Mar. 18th, 2007|01:30 am]

Matsumoto and Sawako were once a happy couple that seemed destined for marriage. But the age-old pressures of meddling parents and success forced the young man to make a tragic choice. She now wanders around in a mindless daze, bound safely to Matsumoto by a long red cord. To curious eyes, they roam aimlessly. But Matsumoto and Sawako are on a journey in search of something they have sadly forgotten. A journey that will cover the four seasons...



por fim ! enfim ! no fim! chegaram-te-me os livros. iupiiiii ! ii! e ao Wally Salomão Cartolina Amarela da página 107 dobrada:


Mascarado avanço

Ela desinfla o mal-estar
na civilização.
Ela prescinde da felicidade
dos bem postos na vida.
Quanto mais na lida diária
o Tedium Vitae preside
tanto mais
eu e ela nos fundimos extáticos,
crentes da seita dos dervixes girantes.
Eu, com ansiosa solicitude,
agarro qualquer bóia
- destroço seja ou bóia -
e comando o lupanar do lumpesinato da ilusão.
E, ela, que papel cumpre?
Ela imprime descomunal animação
à falange

das minhas máscaras.

(Tarifa de embarque)


responde a tua querida nossalúcidalucinada Hilda Hilst na página zero do ante-livro obsceno:


Para poder morrer
Guardo insultos e agulhas
Entre as sedas do luto.

Para poder morrer
Desarmo as armadilhas
Me estendo entre as paredes
Derruídas.

Para poder morrer
Visto as cambraias
E apascento os olhos
Para novas vidas.

Para poder morrer apetecida
Me cubro de promessas
Da memória.

Porque assim é preciso
Para que tu vivas.



obrigada pelas fotos, pelas linhas, por teres dado o meu nome aos livros antes mesmo de meus o serem. pelas saudades, sim ! sim. por tudo de tudo. mas saberás tu da graça que vi na facturinha de esplanada-pede-chope esquecida e entalada na lombada da Hilst, salvo seja!, saberás? não? então transcrevo aqui, e nela, as minha saudades, f.

MESA 7

1 CERV --------- 2.20
1 CIGARRO ------ 2.50
FÓSFORO -------- 0.30
1 CERV --------- 2.20
1 CERV --------- 2.20
------
9.40



e esta conta pago eu, que devedora sou de ti,

a obscena senhora s. de sempre.
link10 comments|post comment

(no subject) [Mar. 11th, 2007|01:22 am]
por que é que ninguém se devia levar muito a sério, muito menos na internet?

porque para cada virtuoso que aparece a exibir-se..


.. há sempre um bem disposto que nos faz rir dele :´)
link3 comments|post comment

(no subject) [Mar. 9th, 2007|12:47 am]
global warming vs global dumbness


um dia, assim pela tardinha, pela fresca, até gostava de ser assolapada por uma epifania e vislumbrar por que custa, ou por que dói, admitir que o aquecimento global é real.. ou por que se insiste em fazer disto uma questão política. o mundo não é uma sopa, mas uma mistela de tontos. resta-me o refrescante will ferrell para desanuviar quem se torra :´)
link9 comments|post comment

(no subject) [Feb. 27th, 2007|02:14 am]

"COULD SOMEONE PLEASE SHOW UP IN DIOR COUTURE, GODAMNIT!!!"

caríssimos compadres da RDBAD*,
*Região Demarcada dos Blogs Amigos do Dedal


por certo concordarão que, em corte e costura, terá sido o serão mais chocho dos últimos anos. balandraus banais em cores pindéricas, sem que ninguém arriscasse sair do mais sensaborão e dejávisto.

a degeneres lá esteve bem, e em relação aos seus predecessores, teve a vantagem de interagir mais com a plateia, não mandando só piadas do púlpito, e manteve-se presente toda a noite, não se desvanecendo à medida que a cerimónia espraiava.

tenho de confessar que fiquei um nadinha decepcionada com o arranque. o momento inicial, pela mão do [GRANDE] errol morris [/MAS GRANDE MESMO], ainda que giro, soou-me a decalque dele mesmo. ora vejam do que falo:


errol morris 2002


link44 comments|post comment

(no subject) [Feb. 20th, 2007|09:42 pm]

ontem, adormeci mecânico encardido, exaurido de tanto ter distribuído fiapos e calendários. hoje, acordei taberneiro, feito num canho. enquanto dormia, uma empregada de limpeza de matosinhos, ao escarafunchar o fundo de um copo, terá encontrado um bigode de 1,60€ quase novo. quem não percebe a miraculosa patusquice disto não tem um fundilho de graça como pessoa - que é o que no fundo me interessa.
link13 comments|post comment

(no subject) [Feb. 19th, 2007|04:54 pm]
a morte dos outros









é um longo filme de luto. de sacrifício. de despedida. de morte. um filme sublime. num solo de breu e hulha, clint dá um rosto, um nome, um dever, ao inimigo; e de uma forma delicada, quase simples, faz dos outros realizadores uns meninos. já o vi há uns dias e continuo abismada.


link11 comments|post comment

(no subject) [Feb. 13th, 2007|10:03 pm]
today, be true to your lover.











link14 comments|post comment

(no subject) [Feb. 8th, 2007|11:28 pm]

going down on to you, my love


[post de mau gosto do dia]
link40 comments|post comment

(no subject) [Feb. 7th, 2007|09:33 am]
o meu filme. o filme que vi vezes sem conta. o filme que sei de cor. o filme sobre o qual nunca escreverei. hoje. 21h30. na cinemateca.


"Lie to me. Tell me all these years you've waited. Tell me."


link15 comments|post comment

(no subject) [Feb. 2nd, 2007|06:46 pm]
“Vemos, Ouvimos e Lemos, Não Podemos Ignorar”.
Hoje, todos sabemos que a vida de uma criança já é antes de nascer. Conhecemo-lo, dia a dia, passo a passo. É uma experiência sensível, objectiva, evidente, cada vez mais desfiada pela ciência e pela técnica do nosso tempo. Há já ali, antes de nascer, um ser humano: único, próprio, irrepetível. Uma pessoa absolutamente outra. Alguém que nunca houve antes, alguém que nunca haverá igual depois. Ninguém o pode negar, ninguém o pode ignorar, ninguém o pode esquecer. É por essa criança e pela dignidade da mulher que recusamos esta violência do aborto como método contraceptivo. Somos contra a liberalização total do aborto até às 10 semanas. Pela vida e pela mulher, pelo filho e pela mãe, vote NÃO em 11 de Fevereiro.


Presidente do CDS-PP

o tem, pela certa, qualquer condão hipnotizador pois, sempre que o fito, dá-se um feitiço que me transporta à sonolência profunda, a uma moleza geral, a um estado de indolência, quase inconsciente, no qual deixo de ver, de ouvir, e me sinto a afundar soalho adentro.

é um sortilégio fulminante, que não sei se acontece porque o fala sempre para os colhões, vmffmvgovernofmfmm fmmportuguesesvmffhm, ou porque é murcho de porte, ou apagado de brilho, ou porque é vagamente parecido com um mocho que antigamente dava na televisão, poisado num galho, e que mandava os meninos para a cama com um pausado b-o-a-n-o-i-t-e, a-té-a-m-a-n-h-ã, fechando depois os dois olhos, para, em seguida, abrir só um deles, como que a ver se tínhamos mesmo ido (e eu, bem pequenina, aninhada junto à minha avó, só pensava: o tanas!).

mochos à parte, o facto é que, mal vejo o , logo o esqueço, sem reter nadinha do que disse. e isto é mesmo verdade. não sei se também vos acontece, mas mal o funcho sai do televisor, puffft, apaga-se-me que ele existe.

mas agora o , a julgar pelos três cartazes que só hoje avistei no porto, anda em acesa campanha pelo 'não', a apregoar em fuchsia que todos “Vemos, Ouvimos e Lemos, Não Podemos Ignorar” que às 10 semanas tal e coisa.



que o senhor e o seu CDS-PP-PARTIDO-SIGLAS-E-MAIS-SIGLAS-POPULAR não conseguiam passar a mensagem, já eu sabia. agora o que eu não sabia é que também não conseguiam escrever a mensagem!

ahahhahahahaha eu "Vejo, Ouço e Leio, Não Posso Ignorar" que um 'de mais' escrito 'demais' soa é a estertor do deprimido. "nenhuma vida é demais?! ó caralho, então que fazia eu aqui toda contente ?! ó triste sorte maldita, quero é ceifar os pulsos.."

e enquanto procuro lâmina para talhar os cotos, deixo-vos algumas imagens do que estão no site do cds, e que atestam que, afinal, esta alcachofra sabe bem o que é que tem 10 semanas ao todo.










link10 comments|post comment

(no subject) [Jan. 30th, 2007|01:37 am]
Ninguém bate mais palmas.

clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap!

Ninguém bate mais palmas!

clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap!

NINGUÉM BATE
MAIS PALMAS!!!!

clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap! clap!


[a pró e os contras]
link18 comments|post comment

(no subject) [Jan. 30th, 2007|12:16 am]
gostar de canastrões*

Kurt Russell
1.escape from new york, 1981
2.the thing, 1982
3.breakdown, 1997

´´I wish I looked like Robert Redford and had a 12-inch cock. But that isn’t the way things worked out.” - Kurt Russell

:´)

*não sei meter aquele simbolozinho, mas o crédito segue na mesma, e em bandeja
link10 comments|post comment

(no subject) [Jan. 17th, 2007|11:45 pm]
Mister Jack and Missus Jill

o filme 'terror in tiny town', de 1938, é uma das preciosidades lá de casa: um western musical só com anões. sem querer distrair ninguém do adorável chilrear destes rouxinóis, chamo a atenção para o violoncelista - ou aquilo será um contrabaixo à escala..? - mais ou menos ao minuto 1:03

: )
link2 comments|post comment

(no subject) [Jan. 15th, 2007|11:43 am]
do darwinismo às arrecuas.



de protuberância occipital
depressão da mandíbula superior
crânio alongado atrás
toro supraorbital saído
largo arco zigomático
queixo vazante abaixo
testa atarracada tosca
bojuda caixa torácica
marreca acentuada
rótulas proeminentes
pernis em arco wayne
o homo neanderthalensis lisbonensis
[c.f., na literatura paleoantropologia,
homo papafillas prós saldos de outlets
homo papafillas prá árvore de natal gigante
homo papafillas prós ajuntamento pró guiness]
no sábado deitou-se tarde
fez noitada na gulbenkian.
AI QUE CONTEMPORÂNEO!
foi ele mais a mulher mais a sogra,
mais os filhos tânia e bruno
esperou 4 horas na bicha
gostou muito sim senhor
mandou sms's aos amigos
e ainda falou prá sic!
quadros lindos sim senhor
disse hoje ao chegar ao emprego
gostou muito do da procissão
e o da cozinha de manhuce
manufe ou.. mamuce
já não se recorda bem,
o homo neanderthalensis, coitadus
à hora que leu manhufe
já lhe doíam os chispes
e a fila tinha de andar.
link12 comments|post comment

(no subject) [Jan. 11th, 2007|01:11 pm]



se me acenam com a fé, não consigo discutir, mas com lodo deste, já posso.

acredito que, mas uma vez, o sim vai perder. naquilo em que quase não acredito é que estamos nesta discussão passados três anos, e, por isso, repesquei o post abaixo. como já não tenho a vida flauteada de há três anos que me permitia andar por aqui a doutrinar, só acrescento duas penadas que retratam o bolor do microcosmos daqui da empresa:


. penada #1

uma parte balofa - a maioria - não vai votar porque, uma vez que não prevê usufruir da lei, não vai dar-se ao trabalho de defender o interesse que é de outros (o clássico torpor cívico)

. penada #2

uma grande e sacristã parte não perde uma oportunidade de trovejar juízos morais sobre os outros, em especial se a questão aflorar, mesmo que remotamente, sexo (nunca desprezem o tesão que dá ter um catecismo na mão!)


e garanto, senhores, que não são grunhos ou penedos, não, são até burilados, gente normal, típica classe média, educada que teve acesso à educação. desolador, não? por isso fica o estertor: não se deixem adormecer e vão votar. andor.
link44 comments|post comment

(no subject) [Jan. 10th, 2007|10:13 am]


every sperm is sacred ou os vários lados do poliedro aborto



o que são 'abortos':


. os casais família-cristã e canção-nova entoando o 'every sperm is sacred' dos python são abortos

estes senhores e senhoras 'pró-vida' (designação abrangente, pois vida vai desde a vaca que vai para o hamburguer como a rosa que vai para o bouquet, e que imediatamente, e sem redenção, encurrala os outros em 'pró-morte', em coveiros dos inocentes), estes casais procriadores que posam de mãos entrelaçadas na capa da 'família cristã', estes rosadinhos cantores do canal 'canção nova', recomendam abstinência, ou então, ensinam a pecar com método, seja o dos graus ºcaloríficos ou o da interrupção do gozo do coito, enquanto mostram polaroids chocantes onde jazem criancinhas (nunca embriões, claro).

normalmente, estes senhores aparecem ligados à igreja, a uma igreja de padrecas homens que nunca soube lidar com mulheres, uma igreja que biblicamente só aprendeu a lidar com virgens ou putas, e que não sabe lidar com mulheres que têm sexo, simplesmente porque - imagine-se! - têm vontade de.



. os porta-vozes dos estereótipos são abortos

aqui, encontramos os defensores da despenalização, que se acham porta-voz de todos os guetos sociais, indo buscar todos os estereótipos femininos, e que supostamente conhecem de ginjeira: as mulheres violadas pelos maridos, as toxicodependentes, passando pelas matriarcas de famintas famílias numerosas, e caricaturizam os anti-despenalização como sendo todos uns ricaços hipócritas, uns bem-nascidos, onde invariavelmente, as mulheres têm madeixas loiras, tratam os filhos por você, e são incapazes de encarar a maternidade sem o recurso a baby-sitters para as ocasiões em que ou têm de ir pôr botox nos vincos ou desfazer-se dos inconvenientes abdominais a badajoz.

neste feudo ainda encontramos os defensores do sim, que acham que toda a defesa da despenalização do aborto é, no fundo, a encapotada defesa da liberalização sexual, do regabofe carnal, e os que a defendem não passam é de uma cambada de copuladores compulsivos, uns one-night-stand-fuckers, capazes da mais símia promiscuidade. shame on them!



. os defensores do 'nascimento digno' são abortos

estes senhores - maioritariamente de esquerda - para defender o aborto usam argumentos que rondam o sinistro conceito do *nascimento digno*. e na defesa do aborto trazem à discussão questões como a miséria, as condições materiais, a flacidez psicológica dos progenitores, o historial macabro da casa pia, ou outros trapos sociais.

isto é tão perigoso, e que ceguinha vai esta esquerda que, com estes argumentos, nem vê que anda de mãos dadas com uns certos senhores famosos que entraram para a história por esturricarem quem não merecia viver, que com este argumento, esta esquerda selecciona os mais fortes, os mais sadios, os mais branquinhos, os que serão ricos, os que serão felizes, os que não terão pulgas, os que não terão fome, os que não darão em toxicodependentes, os que não sobrelotarão os bairros sociais, os que não serão um dia espancados pelos pais.



. as histéricas do na-minha-barriga-mando-eu são abortos

estas senhoras berram que na barriga delas mandam elas, são as fundamentalistas da palermice, que se julgam grávidas sem ingerência masculina, ou por obra e cópula de um qualquer espírito-santo-reprodutor, e que podem sobrepôr-se aos conceitos de consciência humana, de valores, de moral, ou ética.



. o espalhafato do barco do aborto é aborto

eu sinceramente, e sem pingo de ironia, agradeço toda a ajuda de estrangeiros no reacender da discussão do aborto, e acho que nestas questões não deve haver fronteiras, e que a pressão externa tem toda a legitimidade. por exemplo, se a excisão feminina se praticasse por cá, eu também agradeceria que holandeses, belgas, franceses e ou outros viessem cá meter o bedelho.

no entanto, acho que a forma assumida de intervenção degrada o assunto e rasteira o nível da discussão. não consigo deixar de achar tétrica esta barcaça, e de achar que conseguiriam melhor os seus propósitos se entrassem de combóio pelas fronteiras adentro e fizessem manifestações garridas e barulhentas em todos os apeadeiros por onde passassem.



. o nosso ministro da defesa e demais senhores dos assuntos do mar são abortos

nunca me incomodou - nem poderia, porque só a ele diz respeito - que o nosso ministro da defesa goste de se vestir de catherine deneuve e deambule bamboleante pelo parque eduardo vii. não creio que o que o senhor faz com a sua pilinha e rabinho lhe retire qualquer legitimidade em matéria de política militar ou em matéria de folga das malhas de arrasto. no entanto, quando estes moralistas de pau oco vêm em brados ó-moral isto já me começa a incomodar.

principalmente, quando estes senhores que, ao que consta, guardam cabeleiras loiras no porta-luvas, recorrem ao maior cinismo, desplante e lata, e vêm invocar problemas de 'saúde pública' relativamente ao uso de fármacos não autorizados em portugal, quando aparentemente convivem bem com a imundície que são os abortos neste país, feitos em vãos-de-escada às mãos de carniceiras mais ou menos habilidosas. isto é de um cinismo que me eriça.






o que não é 'aborto':*
*no sentido pejorativo que lhe dei acima:

. a interrupção voluntária da gravidez até às 10-12 semanas

para se poder discutir a questão legal, há que primeiro, e impreterivelmente, passar pela análise das seguintes questões: onde começa a vida? um feto com 10-12 semanas é um ser humano, ou não?

mas é precisamente aqui que tudo fica nublado: quando é que somos vida? parece-me que, até ao presente momento do nosso conhecimento, o melhor critério não é a fecundação, não é o bater do coração, não é a formação de um embrião nítido, não é a dor, mas sim, é a vida cerebral.

se se podem desligar as máquinas a alguém que está em coma, com base no pressuposto de vida cerebral, então parece-me que este pode ser o pressuposto adequado para decidir a interrupção da gravidez. do que sei (corrijam-me se já estiver desactualizada) só há vida cerebral num embrião muito para lá das 10/12 semanas. como tal, 10/12/14 - o que for entendido por quem deva, e não eu - parece-me ser uma adequada fronteira, para aquém da qual o que há, é apenas possibilidade de vida, para além da qual há o pressuposto de vida concreta.

e, assim, para mim, um feto com 10-12 semanas não é vida. todavia, claro que o aborto é sempre a interrupção de um processo de vida. e ao abortar, há sempre uma criança que não nasce. o que não implica (realço!) que haja uma criança que morre. não. e isto não é uma mera questão semântica, é a questão moral em si. o verdadeiro conceito a estabelecer.

eu precisei de chegar a uma conclusão pessoal de saber onde começa a vida humana. porque, para mim, a partir do momento que ela existe é inviolável. (claro que concedo algumas excepções, assim como, mesmo defendendo a inviolabilidade da vida, convivo bem com o assassínio em legítima defesa - facilitei aqui na analogia, mas pareceu-me necessário)

e tendo chegado eu a esta conclusão, tolero e aceito que qualquer outra pessoa, homem, ou mulher, de direita, ou de esquerda, com dinheiro, ou indigente, que, tendo ponderado sobre esta questão, defenda a penalização. com o que tem de haver é um debate sério, sem os abortos que referi ali em cima, os folclóricos de serviço.

claro que sei e concedo - não tenho ilusões - que, despenalizando o aborto, muitas mulheres passarão a encará-lo com leviandade, e que sem pensar duas vezes, recorrerão a ele. sim, há muitas mulheres que nunca na vida foram responsáveis, ponderadas ou lúcidas, e, obviamente, passarão a ver o aborto como um recurso, uma rede para o caso de se esquecerem da pílula, ou para o caso de já não restar um preservativo na mesinha-de-cabeceira. obviamente que sim, o que não faltam é mulheres irresponsáveis e obtusas, e que recorrerão a ele de ânimo leve, sempre que a gravidez 'não dê assim lá muito jeito', e que, uma vez praticado, não necessitarão de qualquer apoio psicológico de recuperação pós-traumática.

mas acredito, sinceramente, que a maioria das mulheres que, por um motivo ou outro decidirem recorrer a um aborto o farão em consciência, porque, felizmente, para a maioria, mesmo que não religiosa, a vida é sempre um milagre. é-o, pelo menos para mim, que mesmo sem ter fé, encaro com permanente espanto, a vida como um milagre. o simples facto de ter uns pulmões que respiram sem que eu lhes mande, ou um coração que, para além de bater sozinho, se alvoroça quando vejo o meu amor a vir, é uma maravilha.

bem, e deixo a reflexão por aqui, sem aflorar outras questões que esta traz a reboque, mas sobre as quais deixei pistas claras sobre a minha posição, e que vão desde a utilização dos rejeitados das fertilizações em vitro, à pílula-do-dia-seguinte, ao aborto terapêutico quando a vida da mãe está em perigo, ao aborto quando há malformações do feto, sejam elas doenças mentais, ou corpos amputados, consequências de outras doenças, ao aborto em caso de violação, até à pena de morte, enfim, a tudo que interfira com o começo de vida ou começo de morte.

[isto foi repescado de 2004]
link107 comments|post comment

(no subject) [Jan. 5th, 2007|05:25 am]


waiting for rocky.

ROCKY:
And if I fight?

TRICICLO:
I'll be saved.

ROCKY:
You?

TRICICLO:
We'll be saved.

ROCKY:
Well? Shall I fight?

TRICICLO:
Put on your gloves.

ROCKY:
What?

TRICICLO:
Put on your gloves.

ROCKY:
You want me to take off my gloves?

TRICICLO:
Put ON your gloves.

ROCKY:
(realizing he has no gloves)
True.
(He puts on his gloves)

TRICICLO:
Well? Will you fight?

ROCKY:
Yes, I'll fight.
(He does not fight.)


SIM, SIM, DESDE 1990 QUE TEM SIDO ESTE DIÁLOGO DE LAMBISGÓIAS, MAS AGORA - E O GODOT QUE SE QUILHE! - VEM AÍ MAIS UM ROCKY BALBOA, NÃO TARDA NADA! POR ISSO JÁ FUI PREPARANDO O RINGUE.
eidrieeeen!!!!

link12 comments|post comment

(no subject) [Jan. 2nd, 2007|12:51 pm]
como gelsomina.


como totò.


é uma escolha de navalha, os primeiros filmes a ver no ano.
este começou com o la strada e o miracolo a milano.
tem tudo para ser um ano limpo.
link9 comments|post comment

(no subject) [Dec. 30th, 2006|05:56 am]
post com título mais abaixo que o costume


ora são quase cinco da matina de um dia de entrefestas. o açúcar em ponto já cristalizou nas travessas e ainda faltam dois dias para maltratar o palato com passas. ainda se fossem pinhões.. agora passas?! mas, vistas as coisas, até se entende: os pinhões sempre estiveram pela hora da morte e as passas ao preço da uva mijona. e deve ter sido por isso que se arranjou esta maneira incivil de começar um ano civil: a cuspinhar grainhas.


.ptui.
.ptui.

nada feito. tenho sempre de aproveitar os abraços-bom-ano-bom-ano
e, à sorrelfa, com o dedo

.tuca.

lá tiro, como posso, os bagaços dos dentes de trás



e é a boiar nesta preguiça, que sigo com o topzinho cinéfilo da época. e como o mote é gasto, arranja-se variante: não será um top múltiplo de cinco. não será um top 5, nem um top 10. não, senhora. será um top dúzia!! 12! e para o ano, se os meses me forem folgados, será um top quarteirão! mas isso é para o ano, e se me lembrar.


tricic'lista 2006!



silêncio. recato!

.... .

mas que é isso?


pousio, senhores!



preciso de calmaria para cofiar a barbicha, botar as bistinhas no ponto de fuga, e, enquanto medito, alombar o gato com festas, e ronronar - eu, não o felino.

raios. vou beber água, e já cá volto.


a água nestlé do lidl não vale um charco.



retomemo-nos, e convenhamos: o ano foi uma caqueirada pegada. muita parlapatice e muitos, demasiados, filmes indie próprios para catraias que tiram fotos aos pés. além disso, nunca percebi como é que estes tops se balizam. conta o ano em que vimos? é o ano da estreia? ou é o ano que o topista o quiser?


siiiiiiiiiiiiiiiiga
mas é


pronto, já larguei a barbicha e escorracei o bichano - que nem tenho - e os doze já cá cantam afinadinhos. vamos, portanto, à tricic'lista!



~~~~~PREMISSA~~DE~~MODO~~~~~~

fiz esta selecção em modo beatriz-costa-no-júri que - boas franjas a tenham - mesmo a um perneta a sapatear dava nota máxima: *ah gostei muito! pela simpatia: 10 pontos!*. e, depois, com os olhos cerrados de sorriso e metidos franja adentro, levantava a tabuleta do 10.. ou do 7 (nem sempre acertava na raqueta; era conforme)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~



1. Devil's rejects - Rob Zombie



2. Dead man's shoes - Shane Meadows

descobri que é de 2004 mas, tarde piei!, agora fica


3. The squid and the whale - Noah Baumbach



4. Thank you for smoking - Jason Reitman

este, só pelo genérico, já era listado


5. The descent - Neil Marshall



6. The proposition - John Hillcoat



7. King kong - Peter Jackson

ah pois é! eu não resisto a um king kong, mas é mesmo um grande filme.
e fez-me chorar a segunda metade tudinha :´)


8. Art school confidential - Terry Zwigoff



9. The three burials of melquiades estrada - Tommy Lee Jones



10. Volver - Pedro Almodóvar



11. Borat - Larry Charles



12. New world - Terrence Malick

esta coisa não devia estar aqui, nem sequer em último. mas eu esperei tanto por ela, que hei-de fazer?, custa-me digerir que foi a maior banhada-pantomina do ano, a qual - admito - abandonei aos quarenta minutos com um esbaforido:


pelas alminhas, alguém enfie um balázio nestes dois purahontas
que eu já nem para os esgadanhar os posso ver!!!

o_O



em jeito de fim, digo-vos que, se não tivesse desejos de sobra para pedir em 2007, três dos meus pedidos seriam:


passa trinca e esgar #1
que chegue depressa o novo do clint my man eastwood

passa trinca e esgar #2
que o cronenberg finalmente realize um filme porno como deve ser

passa trinca e esgar #3
que o tarantino nos dê um bollywood


.

e fui dormir.

[reedito isto para esclarecer, em especial aos seres de pouca fé que mo perguntaram, que para mim, o history of violence foi o melhor de 2005 logo seguido do grizzly man, e se os transitasse para hoje, ficariam no topo, e por esta mesma ordem. é tudo - até ver.]
link13 comments|post comment

(no subject) [Dec. 25th, 2006|06:45 pm]
my christmas sex bomb!

esqueçam as lantejoulas e o strass, os cabelitos à pajem, as poupas à hospedeira; esqueçam os peitilhos farfalhotos, as jaquetas las vegas e os saiotes etéreos; esqueçam os ramalhetes de celofane, as salas de espera embaraço; esqueçam ainda a teutofonia fünfakommaneun-fünfakommacht e os salamaleques de salão, porque isto, meus caros, é patinagem artística, pura e dura, e passou hoje à tarde na eurosport!


plushenko, baby, you really can turn me on :´)
link16 comments|post comment

(no subject) [Dec. 21st, 2006|03:46 pm]
home for christmas.. chalalala lala la la : )



e para presente-do-ano eu proponho: uma irresistível camisolinha evo morales :´)



e vocês, o que propõem?
[coff coff se é que alguém ainda me lê..]
link31 comments|post comment

(no subject) [Jul. 19th, 2006|04:08 am]
O'Férias : )



Father Peter Lonergan

Well, then. Now. I'll begin at the beginnin'. A fine soft day in the spring, it was, when the train pulled into Castletown, three hours late as usual, and himself got off. He didn't have the look of an American tourist at all about him. Not a camera on him; what was worse, not even a fishin' rod.



Michaleen Flynn

He's a nice, quiet, peace-loving man, come home to Ireland to forget his troubles. Sure, yes, yes, he's a millionare, you know, like all the Yanks. But he's eccentric - ooh, he is eccentric! Wait 'til I show ya... his bag to sleep in - a sleeping bag, he calls it! Here, let me show you how it operates.


Oh, Inisfree, my island, I'm returning
From wasted years across the wintry sea.
And when I come back to my own dear Ireland,
I'll rest a while beside you, gradh mochroidhe*


*gaelic words meaning love of my heartCollapse )
link5 comments|post comment

(no subject) [Jul. 13th, 2006|11:20 am]
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
vs VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL


se com esta foto não arrebatas o prémio
sarrabulho do worldpressphoto, então,
eu já não sei é nada, cara estela silva.
link2 comments|post comment

(no subject) [Jul. 13th, 2006|10:39 am]
a minha rua e a confeitaria dos meus tios trisavós ao fundo :´)




[...]
Eis como nesta rua teve sua origem uma engenheira química frustrada, com um bocado de farinha e roubando no açúcar, e cruzando com os médicos têsos e farmacêuticos em acumulação que moravam à esquerda na foto, e cujos filhos passavam filmes em 8 mm, cobrando 2 tostões a cada pobre criança, e nos intervalos distribuíam jornais republicanos impressos na própria farmácia no verso das folhas do simpósium, que diziam do D. Carlos o que Maomé não disse do toucinho.

Este comunicado foi visto pela tua mãe, substituindo os coronéis do lápis azul.

Estás a ver como com estes antecedentes tinhas que ficar por uma empresa de águas num País em que beber vinho dá de comer a um milhão de portugueses?!

Um beijo do teu Pai que veio lá de baixo pôr um bocado de ordem nesta falperra



[FALTAM 6 DIAS PARA IR DE FÉRIAS, ASSAZ FULGUROSA E RAPIOQUEIRA]
link5 comments|post comment

(no subject) [Jul. 10th, 2006|07:03 pm]
aspirine zidane, efervescente


porque dói deixar uma carreira. porque se está a ficar velho. porque está na altura. porque é melhor sair em grande.

o zidane saiu em raiva. efervescente. tal qual lhe apeteceu. mordido-mordido. tal qual se sentia. de nada interessa o que disse o italiano. se atentou contra o recato das partes baixas da sua mãe, ou se aludiu à fuligem da sua origem ou se insinuou uma virilidade mariposa. nada disso interessa. o zidane estava era danado, roído, fodido, piurso, por se ir embora. e a dor de cabeça sempre faz esquecer a dor de corno.

bastaria um *vai é arrumar as botas, ó velhinho* e eu também teria dado ao italiano uma marrada de bisonte. uma, ou cinco.

enquanto podia.
link19 comments|post comment

(no subject) [Jul. 6th, 2006|10:42 am]
o meu saber perder tão pastoril.


"My God...the genius of that. The genius. The will to do that. Perfect, genuine, complete, crystalline, pure. And then I realized they were stronger than we...

We must kill them. We must incinerate them. Pig after pig. Cow after cow. Village after village. Army after army. They lie.. they lie and we have to be merciful for those who lie. Those nabobs. I hate them. How I hate them...

The horror. The horror..."


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
um outro saber perder, bem mais pastoril:
"Por mim, Portugal ganhou."
link18 comments|post comment

(no subject) [Jun. 29th, 2006|01:33 pm]
hagar-horrível, o mistério finalmente depena-se! aïe o que me rio com isto :´)

O E-MAIL
De: Mim
Para: O meu pai
Papá,

[...]

mas vamos ao que interessa: passei a manhã às voltas, a tarde às aranhas e a noite aos saltos, e nada. Não há meio de descobrir o que apontou no email de ontem. Que raio são "dois funis de matar frangos colados topo a topo" naquela réplica mal formada do Mariano Gago?? O referido maralhal, comigo à cabeça, está baralhado...

Beijinhos,

Sofia


A RESPOSTA
Do: Meu Pai
Para: Mim


Cara Sofia paradigma da Cultura do asfalto, produto das novas e castradoras tecnologias e da ausência de respeito pela igualdade do Género nas empresas públicas que não só a Assembleia da República enquanto tal:
     
O funil de matar frangos (que se encontra aqui à venda no mercado) deve ter sido inventado por qualquer inquisidor, pois, pelo formato, não excluo que fosse aplicado aos cristãos novos ou aos noviços mais renitentes ou refractários às práticas iniciáticas.

Um autêntico ovo de Colombo: um tronco de cone de folheta à prova de esporões de galo (dos antigos) ou de galinha bi homo ou trans, e que se destina a imobilizar qualquer destas espécies rebeldes (noviço incl) com a cabeça do lado mais fino, e as patas repuxadas para o interior, de modo a que o bombo da festa fique à mercê do sacana do outro lado que à vontade e de olhos fechados lhe pode passar a faca ou o que muito bem (e por onde) entender, normalmente pelo pescoço, sem que ao estrebuchar o pobre diabo lhe possa ofender as partes.

O engenho está a ser produzido a nível industrial, depois de o mercado tradicional ter deixado de dar resposta às solicitações de um número inimaginável de chefes de família com um andar esquisito por via de acidentes no desempenho de tal tarefa cometida antes do 25/74 às criadas de servir, (hoje auxiliares de acção doméstica) e cuja anatomia era mais afeiçoada, segundo a mesma lógica com que as/os atletas na barreira, protegem áreas distintas quando da marcação de um livre.

Não deixes esta informação passar daqui, não vá o harpejo aparecer-te no cabaz de Natal, e com igual preocupação, peço-te que incineres a infografia não vá parar às mãos de alguns notórios pervertidos do Governo e da Televisão ou da Faculdade de Arquitectura, que não tardariam muito a serem vistos a rondar o parque Eduardo VII com um funil debaixo da gabardina, sem que nada apontasse para qualquer nova revolução como aquela em que o Sousa Tavares trepou para o tejadilho de um carro para insultar o Marcelo Caetano no interior do quartel do Carmo, lançando mão do habitual funil com que a Sofia de Mello Breiner Andresen costumava debitar as suas líricas.

Um beijo do papá que andava por África quando devia ter prestado mais atenção à tua formação de base em clássicas, humanísticas e mecânica não quântica.  

link22 comments|post comment

(no subject) [Jun. 28th, 2006|11:30 am]
topas, o motivo pelo qual ainda não consegui parar de rir, e já passa das onze :´)

O E-MAIL
De: mim
Para: Os habituais
Assunto: 'Topas, a abominável mascote das águas'.

Caríssimos,

Lembram-se da nossa ENTUSIASMANTE MASCOTE EMPRESARIAL e cuja frase promocional interna tudo resume em: "O sucesso dos eventos é, em parte, conseguido pela presença do "Topas" uma Mascote em tamanho real, cuja criação pertence ao Prof. António Modesto, e que provoca uma grande empatia nas crianças e jovens"?

Lembram-se? Pois então, seguem mais umas fotozinhas para o álbum dos horrores 'Topas, a abominável mascote das águas'.

Reparem lá, se a primeira não merecia a legenda: "O Topas aparece!! Todas as crianças dão um passo atrás. Excepto o aleijado."

Bom, é tudo, e tenham um bom dia e saudinha.

: )





A RESPOSTA
Do: Meu Pai
Para: Mim
Assunto: A enviar correio electrónico: topas1

Fióka:

Recorrendo ao método de datação e à chave dicotómica do Gonçalo, e a não ser para os apanhados, aquela monstruosidade de folheta, inspiradamente elaborada com dois funis de matar frangos colados topo a topo, sugere-nos um Ictiosaurus mal desenformado (ou o Ministro Mariano Gago).

O que está feito parvo frente à gerigonça, e simulando estar mal das cruzes para se baldar, num futuro mais ou menos próximo, às provas de aferição de Português e Matemática, à primeira vista parece um híbrido de Cynognathus e Dunkleosteus (ambos machos) a quem o corte do rabo infectou.

Aqueles inocentes alinhados a uma distância prudente, estarão a barrar a fuga do engenheiro químico que por escala e do interior manobra a engenhoca, e a estudar a melhor altura de lhe cair em cima e escaqueirar o recinto, depois que lhes saiu isto na rifa quando o que lhes tinham prometido era uma sessão de autógrafos dos morangos com açúcar apresentada por um tal Carlos Cruz, (um senhor que antigamente aparecia na televisão sentado num maple que andava e a publicitar seguros). E só não passaram das intenções aos actos, porque alguém bem posicionado na empresa lhes mandou dizer que ele ou quem cá estivesse na altura (tudo dependendo de quem estivesse no Governo ou em vias de sair) lhes asseguraria um sucedâneo de bacalhau, em miniatura, pelo Natal, comós gajos da tua empresa, desde que, claro está, concluíssem o curso de Engenharia com elevada média.

Aquela mais espigadota de trança a quem só se vê o rabo, do lado direito imagem, especialista em assustar crianças para ficar à vontade com os papás, julgo que é sobrinha-neta de uma ex-freira que costuma estar na feira de Vandoma, a vender santinhos em poses ousadas, e que deu uma palavrinha ao Dom Armindo que por sua vez a recomendou à Administração da tua empresa, para integrar a equipa que teve lata suficiente para produzir o protótipo.

Meu ainjinho, pro que te criou uma Mãe...
Tem um bom dia

Um beijo do suposto chefe de família
link30 comments|post comment

(no subject) [Jun. 22nd, 2006|11:26 am]
"the world's most beautiful animal"


Harry Dawes: Life, every now and then, behaves as though it had seen too many bad movies, when everything fits too well - the beginning, the middle, the end - from fade-in to fade-out.



ok, não sendo uma obra-prima, 'the barefoot contessa' não deixa de ser uma interessante reflexão (mais uma) de mankiewicz sobre a fama, ascensão e dolorosa queda. especialmente porque, ao contrário de em 'all about eve' e 'a letter to three wives', a história de maria vargas não é narrada por ela, no miolo feminimo, mas pelos homens que a rodeiam, manipulam e cobiçam. da turbulência que passa na cabeça da espanhola maria vargas nada sabemos; o que acaba por ser um exercício muito engraçado sobre o desejo masculino. e ava gardner, esse magnífico animal, filmada na cinecittà, sob a luz de jack cardiff, provavelmente nunca esteve tão esplendorosa como aqui.

vi este filme uma vez, há muitos anos, quando ainda era catraia espalmada. depois dele, e durante os dois anos seguintes, quis ser assim: voluptuosa e carnal. quis ter uma cintura fininha. usar malhas coladas e lenços curtos ao pescoço. quis ter umas mamas assim. insolentes. toing.

depois, bom, depois bateu-me a adolescência no corpo e tive mais em que pensar e muito mais com que me atormentar. vesti-me de preto. usei eyeliner. soube de cor todas as letras dos smiths. ouvi a silent air dos sound inumeráveis vezes. fui quase punk. fui quase gótica. fui uma misturada de coisas. fui uma boa palerma por uns bons anos. (daqui vem a minha tese e causa e luta para que se declare como aceite, alegável, omnipresente, universal e válido para qualquer fim - incluindo o da desculpa - o princípio da total inimputabilidade dos teens. este princípio é o que me purifica de ter andado com um tipo de felgueiras que de bom só tinha mesmo a dt vermelha).

mas tudo isso ficou nos oitentas. o que interessa hoje é que vou revê-la amanhã, a esta condessa descalça, e na tela que merece. o filme começa às quinze e começa em citizen kane mode: começa logo com o funeral dela, que é pra prender.

que me desculpem as amigas que me vão receber, mas durante os próximos dias andarei assim, de braços no ar, como quem vai começar a dançar mas nunca mais se decide, como a quem falta o juízo.

\o/
link39 comments|post comment

(no subject) [Jun. 21st, 2006|03:12 pm]
RETRATOS DO TRABALHO EM PORTUGAL

Eu, na minha empresa, à hora do jogo Portugal-México.
E o senhor, onde estará aferroado?


[foi lindo o golo do maniche..? deve ter sido um estouro de fora da área.. aposto]
link25 comments|post comment

(no subject) [Jun. 19th, 2006|05:17 pm]
construa a sua cascatinha do período mesozóico-cretácico!


1 paleontólogonçalo de 4 anos
1 degrau de entrada
1 tabuleiro médio
2 folhas de papel de alumínio
500 g de arroz-cascalho
1/2 tupperware para lago
3 colheres de sopa de água
6 folhas de roseira
1 pratinho para as moedas
18-20 nozes grandinhas
3 formigas transeuntes caçadas na hora
1 braquiossauro
1 diplódoco
2 velociráptores
1 iguanodonte
1 mãocheia de membros da dinosauria
2 santinhos antónios benzidos em santuário reconhecido
1 pregão 'uma moedinha para a cascatinha jurássica'


et voilá, em menos de meia hora, dois contos de rei. os quais, sendo convertíveis em minimilks, perfazem uma dinheirama do triássico!
link13 comments|post comment

(no subject) [Jun. 16th, 2006|04:22 pm]
link4 comments|post comment

(no subject) [Jun. 13th, 2006|06:58 pm]
link12 comments|post comment

(no subject) [Jun. 12th, 2006|01:47 pm]
dor




[aqui, por alguns dias]
link4 comments|post comment

(no subject) [Jun. 9th, 2006|01:10 pm]
** CROMOS WORLD HAIRCUP! **


Valderrama (Colômbia)

Rene Higuita (Colômbia)

Puyol (Espanha)

Locó (Angola)

Ronaldo (Brasil)

Bobby Charlton (Inglaterra)

Ronaldinho (Brasil)

Roberto Baggio (Itália)

Rudi Voller (Alemanha)

Taribo West (Nigéria)

Caniggia (Argentina)

Alexi Lalas (EUA)

Abel Xavier (Portugaaaaaaal)


agradeço penhorada todas as contribuições, e esganiço:
CABELAAAAAAÇO!!!

[preciosa adenda via bladin]

Trifon Ivanov (Bulgária)

Marcelo Balboa (EUA)

Alex Aguinaga (Equador)

German 'Mono' Burgos (Argentina)
link34 comments|post comment

(no subject) [Jun. 8th, 2006|02:19 pm]


[imagem gentilmente cedida pela diocese do porto]


"A criança estava aqui à minha volta e já a tinha mandado embora várias vezes. Ele agora foi-se embora. Não lhe dei um estalo, bati-lhe com a mão para ele se ir embora. (...) Isto não foi um mau trato, foi um bom trato. Não me viu antes agarrá-lo ao colo, acariciá-lo e beijá-lo? Sabe quem faz isso? É um pai. Nós aqui não somos directores, somos pais de família".


Padre Acílio Fernandes, responsável máximo da Casa do Gaiato, após ter dado uma bofetada a uma criança de cinco anos durante uma entrevista à agência Lusa, na qual desmentia as acusações de maus tratos na instituição feitas pelo Ministério Público.
link34 comments|post comment

(no subject) [Jun. 6th, 2006|11:31 am]



The child is dead.
He breathed just for a moment. Then he breathed no more.
The child is dead. Dead. The child is dead.
I'm afraid it will kill her.
My God, she wanted a baby so much.
For such a long time.
What can I tell her? What will I say?
You could adopt a child.
She wanted her own.
If I may suggest,
it even resembles...
Your wife need never know.
It would be a blessing to her and to the child.
Are there no relatives?
None.
The mother died, as your own child,
in the same moment.
You said it could be ours, but...
On this night, Mr Thorn,
God has given you a son.
Here's your boy.


666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666


Apocalipse 13:1
Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.

Apocalipse 13:2
E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.

Apocalipse 13:3
Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte, mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta,

Apocalipse 13:4
e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?

Apocalipse 13:5
Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias; e deu-se-lhe autoridade para atuar por quarenta e dois meses.

Apocalipse 13:6
E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu.

Apocalipse 13:7
Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação.

Apocalipse 13:8
E adora-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

Apocalipse 13:9
Se alguém tem ouvidos, ouça.

Apocalipse 13:10
Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está perseverança e a fé dos santos.

Apocalipse 13:11
E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão.

Apocalipse 13:12
Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença; e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.

Apocalipse 13:13
E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens;

Apocalipse 13:14
e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.

Apocalipse 13:15
Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.

Apocalipse 13:16
E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte,

Apocalipse 13:17
para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.

Apocalipse 13:18
Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.


666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666

bom dia \oo/
link11 comments|post comment

(no subject) [Jun. 1st, 2006|11:20 am]
link9 comments|post comment

navigation
[ viewing | most recent entries ]
[ go | earlier ]